Rio: Estação do BRT Santa Cruz segue super lotada como mostra vídeo de passageira

Rio: Estação do BRT Santa Cruz segue super lotada como mostra vídeo de passageira

7 de janeiro de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – Moradores de Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, seguem sofrendo com o descaso no transporte público municipal. Além de ônibus em péssimas condições, com manutenção precária, sem ar condicionado, o passageiro ainda precisa enfrentar estações lotadas na região, devido ao atrasos nas composições do Consórcio do BRT Rio.

Foto: Reprodução de TV

Na manhã desta terça-feira (6), passageiros enfrentavam atrasos de mais de 30 minutos a espero de um ônibus articulado do BRT Rio, na estação Santa Cruz, como podemos ver o relato de uma passageira e cliente do serviço municipal.

Renovação da Frota do BRT ficou só na promessa

Em meio a Crise que o sistema do BRT Rio vem enfrentando, uma luz no fim do túnel surgiu hoje, quando o prefeito Marcelo Crivella anunciou nesta quarta-feira (16/6/2019), a compra de mais de 150 novos ônibus para o sistema de ônibus expressos.

De acordo com o prefeito, os empresários vão consertar 90 veículos quebrados — e comprar outros 150. Crivella convocou uma nova reunião sobre o assunto às 16h desta quarta-feira.

O prefeito disse ainda que os 90 ônibus do BRT que estão com problemas, serão consertados, assim como a recuperação das estações e a reabertura das estações da Cesário de Melo em Campo Grande e outras que estão fechadas há meses, devido há problemas de segurança e falta de conservação. O modelo dos ônibus e o chassi, serão anunciados futuramente pelo Consórcio BRT Rio.

Respostas dos envolvidos

Secretaria Municipal de Transportes do Rio – SMTR

A Secretaria Municipal de Transportes informa que nos últimos meses, o Consórcio BRT foi multado 470 vezes, por irregularidades cometidas na prestação dos serviços. 

A SMTR ressalta que realiza ações de fiscalização frequentes a fim de verificar as condições da frota operante e os serviços prestados à população. Em caso de irregularidade, o consórcio responsável é autuado e notificado para que aprimore os serviços e cumpra as obrigações contratuais. A fiscalização segue intensificada.


Consórcio BRT Rio

Três articulados tiveram problemas mecânicos esta manhã, causando irregularidades nos intervalos. Mas os serviços já foram normalizados.
Reforçamos que o Terminal Santa Cruz está entre as estações subdimensionadas (as outras são Mato Alto, Magarça e Curral Falso) e que apresentam problemas desde o início da operação do corredor Transoeste. Por isso mesmo, com base em auditoria realizada pelo ITDP em agosto de 2015, o poder concedente se comprometeu a realizar um pacote de obras que compreendia a ampliação do Terminal Alvorada e do Terminal Santa Cruz, e a transformação das estações Mato Alto, Magarça e Curral Falso em terminais de integração com as linhas alimentadoras. Do pacote de obras, apenas a ampliação do Terminal Alvorada saiu do papel. Só para esclarecer: por contrato, a reconstrução de estações e terminais são de responsabilidade da prefeitura.

Além disso, em Santa Cruz, temos o problema de não haver pista exclusiva para os articulados e nem espaço para aguardarem na estação. Dividindo a rua com outros ônibus, carros de passeio e vans para chegar ao terminal, os veículos estão sujeitos ao fluxo do tráfego.

Aproveitamos para lembrar que as condições do asfalto, principalmente, no corredor Transoeste, levaram à degradação precoce da frota e geraram impactos no dia a dia dos passageiros. Veículos que deveriam durar 20 anos, duram apenas 5 no Rio. Buracos, desníveis, depressões afetam diretamente a operação do BRT, causando riscos de acidentes, redução da velocidade operacional, o aumento dos custos de manutenção dos veículos – que tem levado empresas à falência – e a destruição da frota, gerando inclusive superlotação em horários de pico. Outra questão é o vandalismo. Só para se ter uma ideia, da noite do dia 31/12 à manhã do dia 02/01, dezesseis articulados foram vandalizados. Desses, apenas quatro retornaram à operação. Os outros 12 foram tão danificados que ainda não temos previsão do seu retorno ao sistema. Com a frota reduzida, os intervalos entre os veículos aumentam e, consequentemente, a lotação nas estações.


O Gabinete do Prefeito Marcelo Crivella, não respondeu sobre a aquisição de novos ônibus para o serviço do BRT Rio.

Veja outras noticias sobre os problemas do BRT Rio que parecem não melorar