BRT Rio apresenta problemas na manhã deste sábado 4

BRT Rio apresenta problemas na manhã deste sábado 4

4 de janeiro de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – O primeiro fim de semana de 2020, segue com problemas no serviço do BRT Rio. Além da lotação já conhecida de quem utiliza o serviços nos corredores TransOeste, TransCarioca e TransOlímpico, diariamente, o sistema de ar condicionado segue no alvo das principais reclamações dos passageiros e clientes do Consórcio BRT Rio.

Alguns ônibus do sistema, seguem com manutenção atrasada e apresentam problemas no ar condicionado e também em portas e limpadores. Nas redes sociais os clientes que pagam caro para serem transportados, não medem esforços para mostrar os problemas que parecem não ter fim.

Nesta segunda-feira (6), o Consórcio BRT Rio, emitiu uma nota sobre o assunto.

As condições precárias das pistas, principalmente nos corredores Transoeste e Transcarioca, levaram à degradação precoce da frota e geraram impactos no dia a dia dos passageiros. Veículos que deveriam durar 20 anos, duram apenas 5 no Rio. Buracos, desníveis, depressões afetam diretamente a operação do BRT, causando riscos de acidentes, redução da velocidade operacional, o aumento dos custos de manutenção dos veículos – que tem levado empresas à falência – e a destruição da frota, gerando inclusive superlotação em horários de pico. A conservação das pistas é de responsabilidade da Prefeitura do Rio.  

Quanto ao ar-condicionado, o Consórcio já reforçou junto a todas as empresas a importância da manutenção deste equipamento em toda a frota. Mas, é preciso ressaltar que portas e alçapões não devem ser vandalizados para que o ar-condicionado possa funcionar. Portas e alçapões danificados atrapalham a refrigeração dos veículos.  

Infelizmente, também são praticados atos de vandalismo nas estações. As portas de vidro, por exemplo, são vandalizadas diariamente por quem quer entrar nas estações sem pagar passagem. Além disso, peças de alumínio que seguram as portas são frequentemente furtadas, aumentando os gastos do Consórcio com a manutenção das estações e terminais. Não há um dia em que não seja aberto pelo menos um protocolo interno para conserto de equipamentos por causa de mau uso ou furto de peças. O prejuízo estimado com vandalismo e mau uso das estações e terminais é de cerca de R$ 1.400.000,00 por mês, valor que é gasto para mantê-los nas mínimas condições de operação. Só com portas de vidro são gastos cerca de R$ 500 mil por mês.

Ressaltamos ainda que as ações dos controladores de estação do Consórcio BRT são de caráter de orientação aos passageiros para as operações do sistema. Ou seja, eles não têm poder de polícia. Coibir transgressões, delitos e crimes de qualquer natureza é atribuição e competência do poder público.

Prefeitura diz que fiscaliza o serviço do BRT

A Secretaria Municipal de Transportes informa que nos últimos meses, o Consórcio BRT foi multado 470 vezes, por irregularidades cometidas na prestação dos serviços. 

Ressaltamos que a participação da população é fundamental no registro de denúncias acerca dos transportes públicos municipais para que as ações sejam direcionadas e as irregularidades coibidas. Os registros devem ser feitos através da Central de Atendimento da Prefeitura, 1746.

Veja as principais notícias sobre o BRT Rio