MT: Com dívida de quase R$ 44 milhões, Justiça autoriza recuperação de empresa Verde Transportes

MT: Com dívida de quase R$ 44 milhões, Justiça autoriza recuperação de empresa Verde Transportes

12 de dezembro de 2019 Off Por revistadoonibus

CUIABÁ – A Verdes Transportes, empresa que possui sede em Cuiabá e que foi por algum tempo, considerada uma das melhores prestadores de serviço do Mato Grosso, segue com dívidas de R$ 43,8 milhões, e por conta disso, entra no processo de recuperação judicial, autorizado recentemente pelo poder judiciário do Mato Grosso.

A decisão é da juíza da 1ª Vara Cível de Recuperação Judicial e Falência de Cuiabá, Anglizey Solivan de Oliveira, e foi proferida no último dia 5 de dezembro. Com a autorização do processamento, e segundo disciplina a lei que regula a matéria (11.101/2005), o grupo possui 60 dias para apresentar seu plano de recuperação e a estimativa de tempo necessária para pagar seus os credores.

A Verde Transportes vinha renovando parte de sua frota com ônibus novos e também já usados, como o da foto acima, modelo Paradiso G7 1200 equipado com chassi Mercedes-Benz 0-500RSD, adquirido de uma empresa de transporte.

Com a Recuperação Judicial, a empresa fica beneficiada com a suspensão por 180 dias de ações de execução (ordens judiciais de pagamento contra a empresa). O plano de recuperação judicial deverá ser apreciado em até 150 dias pelos credores numa assembleia geral, que poderá aceitá-lo, rejeitá-lo ou modificá-lo, já ocorreu com outras empresas de ônibus como a Viação Itapemirim e Pluma por exemplo.

Caso as partes não cheguem a um acordo, o juiz decreta a falência da empresa, restabelecendo aos cobradores das dívidas o direito de pleitear pelas seus débitos, inclusive na justiça, uma vez que a recuperação judicial suspende por 180 dias esta possibilidade. Em seu pedido, a Verde Transportes faz um breve histórico de sua atuação no mercado, onde opera há mais de 45 anos, e se queixa da falta de linhas de crédito e da política de preços do óleo diesel.

A direção da Verde Transporte reclama da falta de regras da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager-MT), afirma ainda que o grupo sofreu com a falta de regulamentação do transporte público intermunicipal de passageiros no Estado, por meio da concessão de outorgas, que já se arrasta há 12 anos.

A magistrada nomeou a empresa Valor Administração Judicial como administrador, que tem sede em Cuiabá e representada por Victor Andrade Costa. Ele receberá uma remuneração de R$ 437,928, o equivalente a 1% da recuperação e o valor terá que ser pago em 30 parcelas mensais de R$ 14,597 mil.

A circulação dos ônibus da Verde Transporte e empresas do grupo, seguem operando normalmente.

Com informações do Tribunal de Justiça do Mato Grosso e Rádio Eldorado FM