Rodoviários de Porto Alegre realizam protesto contra a redução de cobradores

Rodoviários de Porto Alegre realizam protesto contra a redução de cobradores

9 de dezembro de 2019 Off Por revistadoonibus

PORTO ALEGRE – A cidade de Porto Alegre amanheceu nesta segunda-feira (9), com um protesto de rodoviários, causando lentidão na circulação dos ônibus em diversos pontos da capital gaúcha. O protesto é contra o projeto do governo municipal que via retirar os cobradores de ônibus em Porto Alegre em determinados horários do dia.

Segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), por volta das 8h30, o grupo bloqueava uma faixa do Túnel da Conceição, no sentido bairro-Centro, e um trecho do corredor de ônibus da Avenida Farrapos, também no sentido bairro-Centro.

Outras vias também registraram lentidão, como Bento Gonçalves com Rua Luiz de Camões, Avenida Ipiranga com Rua Lucas de Oliveira, Avenida Protásio Alves, nas proximidades com a Rua Vicente da Fontoura, Avenida Azenha e Avenida Erico Verissimo, perto da José de Alencar.

Acredita-se que o projeto seja votado nesta semana. Se a proposta do Executivo for aprovada, está prevista a exclusão dos cobradores nas seguintes hipóteses: rescisão do contrato de trabalho por iniciativa do cobrador, despedida por justa causa, aposentadoria, falecimento do empregado, interrupção ou suspensão do contrato de trabalho, e na prestação do serviço em que a viagem tenha iniciado entre as 22h e 4h em dias úteis; nos domingos, feriados e dias de passe livre.

Com isso, o pagamento da tarifa do transporte coletivo por ônibus, no período, deverá ser efetuado exclusivamente por meio do cartão TRI, cartão de débito, de crédito, ou outras formas eletrônicas de pagamento.

Conforme o projeto, a economia na passagem de ônibus, com a redução dos cobradores, seria de R$ 0,05.

Em nota, o secretário extraordinário de Mobilidade Urbana de Porto Alegre, Rodrigo Mata Tortoriello, disse que “está bem claro no projeto que nenhum cobrador será demitido. A ideia é que o profissional deixe de ser obrigatório em situações, dias e horários específicos, e em linhas com baixa demanda.”

Ainda segundo Tortoriello, “haverá qualificação profissional gratuita aos interessados que queiram aprender outras funções, preservando seus empregos.”

“Se nada for feito, a certeza é que teremos um reajuste ainda maior em 2020, o que inviabiliza o sistema cada vez mais”, acrescenta o secretário.

Com informações da EPTC e RBS TV