Fetranspor gastava R$ 400 mil por mês com propinas para vereadores do Rio

Fetranspor gastava R$ 400 mil por mês com propinas para vereadores do Rio

17 de novembro de 2019 Off Por revistadoonibus

RIO – A corrupção no setor de transporte e na política, sem dúvidas, deixa o município e o estado do Rio de Janeiro, cada vez mais pobre, graças aos desvios de verbas destinadas a comprar votos e indicações políticas. Políticos como os ex-governadores Sérgio Cabral, Luiz Eduardo Pezão, Casal Garotinho, assim como o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes, são citados em delações sobre propinas no estado.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O ex-presidente da Fetranspor, Lélis Teixeira, entidade que é ligada ao empresário Rei dos Ônibus, Jacob Barata, contou em sua delação premiada que a Fetranspor chegou gastar por mês, R$ 400 mil com propinas pagas a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, como informa a coluna de Lauro Jardim, e O Globo.

“Foram citados, como aqueles que recebiam mesadas, os vereadores: Jorge Felippe, Ivan Moreira, Jimmy Pereira, Jorge Braz, Jorginho do SOS, Luiz Carlos Ramos, Marcelino D’almeida, Renato Moura, Sebastião Ferraz, Vera Lins, Marcelo Piuí, Verônica Costa e Jorge Mauro”, informa o jornalista.

Acredita-se que as propinas pagas, seriam para aprovação dos Consórcios criados na cidade e a liberação para a exploração das linhas municipais e que agora, se torna alvo do Ministério Público do Rio de Janeiro, o processo de revisão nos contratos das linhas de ônibus da cidade.

A Fetranspor ao menos, não comenta o assunto em seu site ou em suas redes sociais.

Confira todas as notícias envolvendo a Corrução no transporte do Rio de janeiro