Alagoas ônibus Blog da Redação Cidades Nordeste Trânsito Viajando de Ônibus

Motoristas de ônibus realizam protesto em Maceió por salários atrasados

MACEIÓ – Motoristas que realizam o transporte escolar terceirizados pela Secretaria de Estado da Educação fizeram um protesto na manhã desta quarta-feira (2). A manifestação ocorreu no Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada – CEPA. De acordo com os manifestantes, os motoristas estão há 4 meses com salários atrasados.

Anúncios

Os motoristas realizam o terceiro protesto desde setembro. Assim como os motoristas de Maceió, outros profissionais das cidade de Arapiraca e de Palmeira dos Índios, seguiam no protesto.

No dia 3 de setembro, eles bloquearam a saída do pátio do Cepa para cobrar o pagamento dos honorários. Um grupo de estudantes, ao perceber que ficaria sem transporte, bloqueou o trânsito da Avenida Fernandes Lima. Desde então, eles estão sem trabalhar.

Secretaria de Estado da Educação até o final da manhã, não tinha se manifestado sobre o protesto.

Anúncios

Investigação da Seduc

Alguns dias a Polícia Federal deflagrou a Operação Casmurro, que investiga desvios de recursos dentro da Seduc, entre eles estão os contratos com a empresa Bioética, para a qual esses motoristas trabalham.

O segundo ato foi realizado no dia 24 de setembro. Depois do protesto, eles foram recebidos pelo Secretário de Educação, Luciano Barbosa, e um representante da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag).

Foto: Diego Gabino – Divulgação

Segundo os motoristas, ficou acordado que eles receberiam em suas contas bancárias pessoais os valores relativos aos pagamentos de maio e junho até o final de setembro, e em outubro, o mês de julho. Mas até agora, nada aconteceu.

“A secretaria pediu nossa documentação pessoal, o número das contas para o depósito e uma declaração informando que prestamos serviço e o tempo em que trabalhamos. Corremos atrás, e ontem ficamos sabendo que infelizmente não há prazo para pagamento”, declarou o motorista Diego Gabino.

Anúncios

“Está muito complicado por que estamos precisando do dinheiro, as dívidas estão aumentando e como é que a gente vai fazer pra pagar as contas?”, desabafa o motorista.

Enquanto isso, parte dos alunos do Cepa e de outras localidades do interior do estado continuam sem transporte. Segundo a categoria, eles paralisaram as atividades há 1 mês em Maceió e cerca de 2 meses no interior.

Com informações da TV Gazeta