Operação do BRT Rio fracassa no primeiro dia do Rock in Rio 2019

Operação do BRT Rio fracassa no primeiro dia do Rock in Rio 2019

28 de setembro de 2019 Off Por revistadoonibus

RIO – Moradores da Cidade do Rio de Janeiro, já vem há meses enfrentando super-lotação nas principais estações do BRT Rio, assim como atrasos e relatos de problemas com os veículos articulados. Nos últimos meses, registramos diversos ônibus do consórcio BRT Rio incendiados.

No último dia 12 de setembro, uma cliente do BRT, mostra a triste realidade de quem mora na cidade e busca embarcar no serviço do BRT Rio. A estação Jardim Oceânico, que faz integração com o Metro Rio, está bastante lotada, como é possível ver abaixo.

No primeiro dia da operação do BRT para o Rio no Rock in Rio 2019, o serviço mostrou que não está preparado para suportar mais passageiros do que já está acostumado. O que deveria ser uma operação de sucesso em grandes transtornos, se mostrou um fracasso, com atrasos e ônibus velhos e quebrados, como informava os passageiros.

Se em setembro, as estações, já estavam lotadas, como denuncia a moradora Priscilla Arras, no primeiro dia do Rock in Rio 2019, não seria diferente.


Foto: Reprodução de Rede Social

BRT Rio segue super lotado no primeiro dia do Rock in Rio 2019

A operação do corredor expresso operado pela Concessionária BRT Rio, começou apresentando sérios problemas, no final da tarde desta sexta-feira (27), na Estação Jardim Oceânico. O primeiro dia do Rock in Rio 2019, o serviço, se mostrou ineficaz, tanto para quem seguia para o evento, como para quem voltava para casa, após um dia inteiro de trabalho.

Um dos principais acessos do público que vai ao Rock in Rio nesta sexta-feira ficou paralisado após uma manifestação.

Nas redes sociais, os clientes do serviço reclamam de atrasos e ônibus velhos, na hora de embarcar na volta para casa.

Os manifestantes reclamam exatamente da retirada de veículos para fazer o trajeto até a Cidade do Rock. 

Os passageiros desceram até a pista e bloquearam a saída de ônibus dizendo que os coletivos regulares estão com atrasos de mais de 1 hora.

Foto: Reprodução de Rede Social

Por volta de 17h49, o serviço do BRT Rio ficou paralisado no Jardim Oceânico. Com plataformas lotadas, atrasos e ônibus super lotados, inclusive o serviço normal, que é utilizado por moradores da cidade, um grupo de pessoas realizou um protesto no local.

A Polícia Militar e a Guarda Municipal foram para o local. Segundo a PM, às 18h35 o fluxo tinha sido restabelecido.

Problemas no Recreio dos Bandeirantes

Após toda a confusão, ônibus lotados e com atrasos, por volta de 18h27, o serviço do BRT Rio voltou a circular normalmente, como informa o Centro de Operações Rio, da Prefeitura do Rio.

Preço

Nesta quinta, a Prefeitura anunciou nesta quinta que o preço da ida e volta para o Rock in Rio é de R$ 15,05. Para isso, a Secretaria Municipal de Transporte do Rio revogou o valor de R$11,75, estipulado no início deste mês. Fora do esquema especial para o evento, o valor de duas tarifas é de R$8,10, com o valor unitário de R$4,05.

Nota do BRT Rio

Em nota, o consórcio BRT Rio, responsável pela operação do modal, negou que tenha deslocado parte da frota para atender o Rock in Rio.

“O BRT informa que nenhum veículo destinado à operação regular foi deslocado para a realização dos serviços especiais criados para a operação do evento Rock in Rio. Para garantir o deslocamento de todos os usuários, em decorrência do aumento da demanda, o Consórcio providenciou, inclusive, o aluguel de veículos de outras capitais de modo a não afetar o serviço regular. Infelizmente, algumas pessoas, que já planejavam, via redes sociais, fazer uma manifestação para aproveitar a projeção do evento, obstruíram as pistas, prejudicando o ingresso dos ônibus articulados no Terminal Jardim Oceânico. Isso provocou danos ao planejamento da operação do Sistema BRT nesta sexta-feira. Logo após a liberação das pistas a operação foi regularizada”, disse.

Prefeitura do Rio se manifestou sobre os problemas

Em nota, a SMTR afirmou que notificou o consórcio para prestar esclarecimentos sobre as reclamações do fim da tarde de sexta-feira, na estação Jardim Oceânico e no Terminal Alvorada, inclusive sobre o correto atendimento ao plano operacional por ele apresentado. “Em caso de irregularidades, o consórcio será devidamente penalizado”, diz o texto.

Com relação a ônibus do sistema que não estariam cadastrados, a SMTR explicou que, até o momento, a equipe de fiscalização não identificou tal fato e que, caso seja constatada a irregularidade, as penalidades cabíveis também serão aplicadas. A secretaria ressaltou que se houver qualquer desobediência ao plano operacional estabelecido, o consórcio será penalizado.

BRT Rio há seis meses vivia problemas sérios. Serviço passou por intervensão