Manaus segue com frota de ônibus reduzida após intervenção da prefeitura

Manaus segue com frota de ônibus reduzida após intervenção da prefeitura

18 de setembro de 2019 Off Por Redação Revista do Ônibus

MANAUS – A cidade de Manaus segue pelo segundo dia seguido com a redução de parte da frota de ônibus que atende as linhas municipais, após a intervenção no sistema de transporte de passageiros, feito pela prefeitura de Manas. Os empresário afiram que não possuem dinheiro para manter 100 da frota circulando.

A redução de parte da frota dos ônibus, vem causando transtorno aos passageiros da cidade, já que o atraso entre os ônibus e a super lotação nos ônibus em todas as regiões do município.

A briga entre o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto com o empresariado do transporte é de longa data. Há 58 dias, o prefeito decretou uma intervenção financeira nas empresas.

A Prefeitura de Manaus informou que a redução no número de ônibus do transporte público tem sido pontual em apenas algumas empresas e que controla apenas o dinheiro proveniente da bilhetagem eletrônica, que representa 60% do total de recursos que o sistema arrecada diariamente. Segundo a prefeitura, 40% da arrecadação é feita em espécie e controlada pelos próprios empresários.

Ainda de acordo com a prefeitura, a Secretaria Municipal de Finanças vem transferindo semanalmente às empresas os recursos necessários para a compra do diesel que abastece a frota do sistema de transporte em Manaus. Sem informar valores, a prefeitura disse que a Semef já transferiu o dinheiro para o pagamento dos serviços desta semana.

O prefeito de Manaus disse que a intervenção financeira no transporte, ocorreu com o objetivo de recolher os impostos municipais e garantir o pagamento de direitos trabalhistas. Também alegou que pretende evitar paralisações do sistema com greves de trabalhadores em decorrência do atraso de salários.

De acordo com o Sinetram (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros), as empresas estão “se esforçando para manter a operação da frota com a receita disponível”. Além disso, já informaram ao interventor, o administrador Francisco Bezerra, sobre a falta de dinheiro para a compra de combustíveis.

Com informações do Amazonas Atual e Prefeitura de Manaus