Mulher finge ser cadeirante para não pagar passagem no Rio e vídeo viraliza

Mulher finge ser cadeirante para não pagar passagem no Rio e vídeo viraliza

17 de setembro de 2019 Off Por revistadoonibus

RIO – Em meio uma viaje como outra qualquer, um passageiro acabou registrando um fato inusitado no final de semana, no bairro de Senador Camará, na Zona Oeste do Rio. Uma mulher se passando por cadeirante é vista embarcando no ônibus sem pagar passagem, sendo que é possível ver ela andando normalmente, como mostra o vídeo compartilhado no Twitter e viralizado na rede social.

Na publicação da equipe Informações RJ, é possível ver a mulher caminhando normalmente pela calçada, empurrando uma cadeira de rodas. A princípio achamos que ela estaria indo de encontro com algum deficiente que poderia estar desembarcando do ônibus, mais ao se aproximar o ponto de ônibus, a mulher senta na cadeira e chegar no local como se fosse uma pessoa com deficiência física, e com isso não pagar a tarifa.

Quando um ônibus para, a mulher se aproxima do veículo, o motorista abre a porta traseira, aciona o elevador de cadeirantes, que demora a abaixar, e depois, já com o equipamento no chão, ela sobe, auxiliada pelo motorista.

O caso ocorreu na linha 803 que faz entre trajeto Taquara e Senador Camará, passando por 58 pontos de ônibus. O vídeo foi publicado em duas partes no Twitter e está com 7,1 mil visualizações.

Sindicato se manifesta

O RioÔnibus, Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro, compartilhou as imagens nas suas redes sociais e afirmou que “quem frauda a gratuidade prejudica o trabalho do motorista, atrasa a vida de quem tem pressa de chegar ao trabalho e ainda tira a credibilidade dos verdadeiros portadores de necessidades especiais, além de ser crime“.

O sindicato informou ainda que em média 50% das gratuidades concedidas são fraudadas, em algumas regiões da cidade, como na zona oeste. “Os casos mais comuns são o uso indevido dos cartões de gratuidade por terceiros. Quem age dessa forma não está lesando a empresa, mas quem está pagando a passagem de forma regular”, disse.

A gratuidade de passagem à deficientes físicos é um direito garantido por lei.