SP: CPI do Transporte é prorrogada por mais 90 dias em Limeira

SP: CPI do Transporte é prorrogada por mais 90 dias em Limeira

23 de agosto de 2019 Off Por revistadoonibus

LIMEIRA – Criada em maio para tentar resolver o grave problema do transporte público na cidade de Limeira, no interior de São Paulo, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do transporte público, requerida pelo vereador Dr. Marcelo Rossi (PSD), acaba de ser prorrogada na quinta-feira (22) por mais 90 dias.

Uma sessão na Câmara de Vereadores, acabou aprovando um requerimento a ser enviado à prefeitura e à Viação Limeirense com questionamentos sobre o transporte público da cidade. A prorrogação será lida na próxima sessão da Câmara, a ser realizada na segunda-feira (26).

Anúncios

No requerimento, foram questionados os adiantamentos a fornecedores e que tipo de serviços ou materiais foram contratados, por que existem débitos com empresas coligadas e por que a Viação mantém conta corrente com terceiros.

Além disso, houve também questionamentos sobre aumento das obrigações trabalhistas, déficit no exercício de 2018, aumento da receita referente ao subsídio recebido pela prefeitura e por que, no ano da intervenção, houve prejuízo superior a R$ 9,8 milhões se, no ano anterior, o resultado foi positivo.

A prefeitura informou que, “assim que receber os novos questionamentos, levantará as informações e responderá à Comissão, dentro dos prazos legais.”

Cidade vive maior crise no transporte

A Prefeitura de Limeira cogita contratar uma empresa para operar o transporte público de forma emergencial sem usar o edital publicado em 6 de julho e suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP) dez dias depois. A hipótese será utilizada se o processo no TCE demorar para ser resolvido.

A prefeitura precisa concluir a contratação emergencial até o fim do prazo de 120 dias fechado entre a prefeitura e a credora da Viação Limeirense. O acordo, firmado em 28 de maio, evitou que 32 ônibus do transporte fossem recolhidos por falta de pagamento de uma dívida da empresa.

Após esse prazo, os 32 ônibus serão retirados, o que causará um colapso no serviço, de acordo com o secretário de Assuntos Jurídicos do município, Daniel de Campos.

A Viação Limeirense está há mais de dois anos sob intervenção da prefeitura. Isso significa que a administração municipal nomeou um interventor e assumiu a gestão da empresa para conseguir manter o transporte público.

A contratação emergencial será utilizada, em tese, até a nova licitação do transporte, que depende da conclusão do plano de mobilidade e aprovação na Câmara Municipal. Campos afirma que a prefeitura deve fechar o plano até novembro.

Com informações da Prefeitura de Limeira, Câmara Municipal e EPTV