Buser aposta na plotagem de ônibus e em parcerias com o setor de turismo de luxo

Buser aposta na plotagem de ônibus e em parcerias com o setor de turismo de luxo

24 de junho de 2019 Off Por Redação Revista do Ônibus

BELO HORIZONTE – E continua a intensa campanha da Buser, conhecida como o Aplicativo do ônibus. A Startup brasileira que aposta no fretamento de ônibus de turismo para o deslocamento em trechos entre duas cidades, como por exemplo: Belo Horizonte x São Paulo e São Paulo x Belo Horizonte, vem aumentando sua participação nas redes sociais, na TV e nas ruas.

Agora é possível ver alguns ônibus com a plotagem da Buser. O Paradiso G7 1800DD Mercedes-Benz, pertence a Levare Transportes, que é mais uma empresa que firmou parceria com a Buser. A Levare é considera uma das melhores empresa de transporte e turismo do estado de São Paulo, por possuir uma moderna frota de Ônibus e um atendimento de excelência.

Os carros da Levare plotados já estão sendo utilizados pela Buser nos trechos como Belo Horizonte x São Paulo e São Paulo x Belo Horizonte, como foram vistos circulando por Belo Horizonte nos últimos dias. O carro Double Deck com identidade totalmente rosa, vem chamando atenção de todos pelas ruas e estradas por onde trafegam.

A nova plataforma digital que busca conectar destinos através do fretamento de ônibus, vem incomodando e as empresas que operam em linhas interestaduais, que já entraram com ação na justiça, solicitando o cancelamento do buser, porém, ainda sem sucesso.

Agora com veiculação de comercial na televisão e no youtube, assim como em outras plataforma, a buseraumenta sua área de atuação, passando com isso, oferecer novos destinos, que podem ser consultados no site Buser.com.br .

Essa guerra entre o aplicativo e as empresas de ônibus, se repercute em uma campanha publicitária do Buser, em que mostra a imagem com o dizer: “Enquanto nós sonhamos, eles têm pesadelos…” chama atenção de passageiros que não tem bons serviços prestados por muitas empresas de ônibus em várias cidades.

AGU diz que é descabida ADPF contra aplicativo de fretamento de ônibus Buser

A Advocacia-Geral da União considerou descabida a arguição de descumprimento de preceito fundamental que tenta reverter decisões de primeira e segunda instância que autorizaram a atuação de aplicativos de fretamento colaborativo de ônibus, como o Buser.

Segundo a AGU, a ação não indica os atos do Poder Público que verdadeiramente pretendia impugnar, pedindo de forma genérica a extensão do seu pedido a todo e qualquer processo ou decisão judicial que guarde relação com a matéria.

“A esse respeito, a jurisprudência dessa Corte Suprema exige a indicação, de forma precisa e delimitada, dos atos do Poder Público questionados em sede de arguição de descumprimento, sob pena de inépcia da petição inicial”, diz o órgão.

Além disso, a AGU afirma que a ação proposta pela pela Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati) também não possui natureza constitucional, o que também impede o prosseguimento da arguição.

“A ausência de controvérsia constitucional tem motivado a extinção de diversas arguições de descumprimento de preceito fundamental que, à semelhança do caso sob exame, versavam sobre questões de natureza infraconstitucional”, explica a AGU. 
No mérito, o órgão também considera a ADPF sem razão pois trata-se de questão infraconstitucional. Segundo a AGU, o único exemplo citado na petição inicial é o do aplicativo Buser. Nesse caso, explica, se a empresa realmente estiver prestando serviço de transporte público de maneira irregular, tal situação não caracterizara a ocorrência de afronta direta ao texto constitucional, nem poderia ser objeto de arguição de descumprimento de preceito, como informa o site Consultor Jurídico.