DF: Paralisações contra reforma da Previdência afetam transporte público e escolas

DF: Paralisações contra reforma da Previdência afetam transporte público e escolas

14 de junho de 2019 Off Por revistadoonibus

BRASÍLIA – Representantes de diversas categorias do Distrito Federal paralisaram as atividades nesta sexta-feira (14) em protesto aos cortes do governo federal na educação e contra a reforma da Previdência.

Foto: Reprodução de TV

Desde as 5h, ônibus de várias regiões deixaram de circular. Na Rodoviária do Plano Piloto, os boxes amanheceram vazios. Além dos coletivos, o BRT também suspendeu as atividades.

Com o transporte público afetado, várias rodovias do DF registraram congestionamento. Por volta das 7h, o trânsito estava intenso na BR-020, na EPTG e na BR-040.

Transporte pirata

Na Rodoviária do Plano Piloto, o G1 flagrou veículos com identificação escolar sendo usados irregularmente no transporte de passageiros. Os usuários estão pagando, em média, R$ 5 pelo serviço.

Foto: Marília Marques/G1 – Divulgação

No terminal, apenas os ônibus da Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) operavam. Segundo a empresa, funcionários não aderiram à paralisação.

No entanto, apenas 12 dos 16 coletivos que rodam diariamente no centro de Brasília estavam em funcionamento. A direção da empresa diz que quatro ônibus ficaram parados por falta de cobrador ou motorista, que não conseguiram chegar para assumir os postos.

Decisões judiciais

As categorias que anunciaram a suspensão dos serviços receberam, na quinta-feira (13), uma série de liminares da Justiça do DF determinando a manutenção integral ou parcial das atividades. No entanto, algumas categorias decidiram não cumprir as decisões, como foi o caso dos rodoviários.

Foto: Reprodução de TV

Uma liminar do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou a manutenção de toda a frota. A multa, em caso de descumprimento, é de R$ 100 mil.  O sindicato dos Rodoviários ainda não se manifestou.

Com informações da Tv Globo