ônibus Blog da Redação Cidades Estradas Rio Trânsito Viajando de Ônibus violência

PRF vai monitorar rodovia Niterói x Manilha a BR-101 com drones e blindados

RIO – A Rodovia Niterói-Manilha (BR-101) já é vigiada por drones e patrulhada com o auxílio de blindados em operações da Polícia Rodoviária Federal (PRF-RJ). O anúncio foi feito ontem pela corporação, que terá sete aparelhos para monitorar do alto todas as rodovias federais que cortam o estado. As imagens, que podem ser captadas a até 500 metros de altura, cobrindo um raio de seis quilômetros, serão enviadas à central de controle.

As imagens poderão, inclusive, ser analisadas de dentro do Centro de Controle Móvel, uma van que acompanhará as equipes até as proximidades do local da operação. Também foi apresentado ontem um veículo blindado capaz de transpor barricadas e de arrastar peças de até 4,5 toneladas.

A primeira a receber esses investimentos será a BR-101, que margeia o município de São Gonçalo – que tem o segundo maior índice de mortalidade violenta e roubo de veículos no estado. “Nosso foco principal nesse primeiro momento são as comunidades da Niterói-Manilha”, afirma José Hélio, porta-voz da PRF-RJ.

Foto: Rodrigo Menezes / Divulgação

O aumento de aparatos de segurança é uma estratégia para reduzir os índices de criminalidade na região. Os roubos de rua aumentaram 2,5%, este ano, em comparação aos primeiros quatro meses do ano passado. Mas o roubo de carga, a letalidade violenta e os homicídios dolosos caíram segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP).

Arrastões são constantes

A sensação de insegurança entre os moradores, no entanto, não seguiu as estatísticas. A Rodovia Niterói-Manilha tem registrado, frequentemente, arrastões e roubos de veículos. A diarista Patrícia Oliveira, moradora do bairro da Engenhoca, Niterói, próximo a São Gonçalo, testemunhou arrastões e assaltos em pontos de ônibus e até ações criminosas de grande porte em frente ao Departamento de Policiamento Ostensivo (DPO). “Eles (assaltantes) saíram do carro armados de fuzil e entraram numa loja de roupa, bem em frente à DPO, renderam os donos da loja, levaram uns R$ 7 mil reais”, conta.

Para o especialista em Segurança Pública, José Ricardo Bandeira, os drones são uma ‘excelente iniciativa’. “É uma tecnologia muito barata e muito útil. Ele é mais barato, mais ágil e mais eficiente que um helicóptero. Reduz substancialmente o risco de mortes em confronto policial”, afirma Bandeira.

De acordo com Hélio, o drone serve para mapear território, para prevenir atos criminosos e documentar esses atos.”É possível também trabalhar com o drone na identificação dos criminosos, a partir da ligação do drone com um programa de identificação fácil, por exemplo. Ele pode ser usado até mesmo com uma câmera de visão noturna”, afirma.

Índices em queda, segundo ISP

Os números do Instituto de Segurança Pública revelam que os principais índices de
criminalidade urbana na região de São Gonçalo vêm caindo. Mas a sensação de insegurança ainda acompanha quem vive ou tem que transitar por ali.

Em comparação aos primeiros quatro meses do ano passado, os roubos a transeunte caíram 3,5%. Em 2018 registrou-se 30.312 casos, contra 29.255 de janeiro a abril deste ano. Nos roubos de carga, constantes na Niterói-Manilha, também demonstram queda.
Em 2018, foram 3.529, contra 2.691 em 2019. Redução de 23,7%, ou 838 ocorrências. A letalidade violenta caiu de 2.459 casos para 2.020 ocorrências, no mesmo período.

Com informações da Polícia Rodoviária Federal, Instituto de Segurança Pública e O Dia