Após proposta, rodoviários de São Paulo decidem suspender paralisação

Após proposta, rodoviários de São Paulo decidem suspender paralisação

22 de maio de 2019 Off Por Redação Revista do Ônibus

SÃO PAULO – Em uma assembléia realizada nesta tarde de quarta-feira (22), os rodoviários da cidade de São Paulo, decidiram aceitar a proposta feita pelos empresários, como já tínhamos adiantado nesta terça-feira (21).

Com essa decisão, a paralisação dos rodoviários que estava marcada para amanhã, quinta-feira (23), está descartada.

Os motoristas vinham pedindo, entre outras reivindicações, reajuste salarial de 8%. As empresas do setor vinham oferecendo 4%. Agora, há uma proposta de 5,1% de reajuste, segundo afirmou o presidente licenciado do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo, Valdevan Noventa, deputado federal eleito pelo PSC de Sergipe. “É a assembleia quem vai decidir”, disse Noventa, ao avaliar a proposta como “positiva”. 

A PLR será condicionada ao número de faltas, podendo chegar a R$ 1500,00 para o funcionário que não tiver faltado nenhum dia.

Os novos valores surgiram depois de uma intervenção do prefeito Bruno Covas (PSDB) nas negociações. Diante de iminência da greve, que estava marcada desde a quinta-feira passada 16, Covas indicou o ex-presidente da Câmara Municipal, Milton Leite (DEM), vereador ligado ao setor de transportes, para participar da mesa de negociação. A Prefeitura está finalizando a documentação para renovar os serviços das empresas de ônibus.  Interlocutores dos dois lados falam em “acordo” após a formulação da proposta intermediada por Leite. 

Com informações da Prefeitura de São Paulo, Estadão e Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo