Scania fará investimento de R$ 1,4 bilhão em sua fábrica de São Bernardo do Campo

Scania fará investimento de R$ 1,4 bilhão em sua fábrica de São Bernardo do Campo

21 de maio de 2019 Off Por Redação Revista do Ônibus

SÃO PAULO – A direção da Scania no Brasil anunciou hoje ao governo paulista um novo programa de investimentos, que totalizará R$ 1,4 bilhão entre 2021 e 2024.

Os recursos serão usados principalmente na modernização da fábrica de São Bernardo do Campo. A ideia é dar continuidade ao plano de a filial brasileira estar preparada para produzir caminhões e ônibus com combustíveis alternativos.

Nesta tarde a empresa sueca confirmou a informação cuja veiculação inicial ficou a cargo do governo do Estado de São Paulo.

Segundo a montadora sueca, a primeira parte do investimento somará R$ 75 milhões, que serão usados para ampliar as instalações destinadas às equipes de pesquisa e desenvolvimento, além da melhora na logística industrial.

Em 2020 estará em fase de conclusão o programa de investimentos iniciado em 2016, de R$ 2,6 bilhões, voltado, sobretudo, à adaptação da fábrica de São Bernardo às mudanças definidas pela matriz a partir da necessidade de acompanhar as novas tendências energéticas para reduzir emissões de poluentes.

A maior parte da produção em São Bernardo é destinada à exportação, incluindo mercados mais distantes, como Rússia.

“Nosso ritmo de investimento era de R$ 100 milhões por ano, mas agora, para atender as necessidades das novas tendências ligadas ao mundo do transporte, precisamos elevar esse patamar”, disse, por meio de nota, o presidente da Scania na América Latina, Christopher Podgorski.

Segundo o executivo, a fábrica, localizada às margens da Via Anchieta, também passará por reformas. “Estamos em processo acelerado de automação nos processos de logística para melhor aproveitamento do tempo e espaço”, afirmou Podgorski.

Segundo ele, na área de desenvolvimento, o foco imediato serão os combustíveis alternativos, especificamente veículos movidos a gás. Recentemente a Scania e a Citrosuco firmaram uma parceria para os primeiros testes com um caminhão que pode ser abastecido com gás natural veicular ou biogás.

A fábrica brasileira conta com 250 engenheiros que atuam em sinergia com a matriz na Suécia.

Com informações da Scania do Brasil e Valor