EMTU aplica 832 multas em dez meses por falta de cobrador em linhas da região de Campinas

EMTU aplica 832 multas em dez meses por falta de cobrador em linhas da região de Campinas

15 de Maio de 2019 Off Por revistadoonibus

CAMPINAS – As empresas de transporte metropolitano da Região Metropolitana de Campinas (RMC) receberam, de julho de 2018 a abril de 2019, 832 autuações por falta de cobrador. De acordo com dados da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), a fiscalização foi intensificada e a média foi de 92,4 multas por mês nos últimos dez meses.

O número já é 143% maior que o último período de 12 meses analisado pela empresa, que vai de agosto de 2017 a julho de 2018, quando a EMTU aplicou 342 autuações – com média de 28,5 por mês. As 832 multas dos últimos dez meses resultaram na arrecadação de R$ 173,4 mil, de acordo com dados do órgão estadual.

EPTV, afiliada da TV Globo, acompanhou uma viagem na linha 709, que vai de Monte Mor (SP) para Campinas (SP) e verificou os transtornos e o tempo perdido por conta da falta de cobrador. A equipe entrou no ônibus às 5h52 e às 6h10 o coletivo já estava completamente lotado.

“Muitas vezes o motorista fica parado porque ele tem que cobrar a passagem e não pode dirigir, ele tem que fazer tudo. É um transtorno, a gente acaba chegando atrasado no serviço por causa disso”, disse uma das passageiras.

A viagem de Monte Mor a Campinas durou 59 minutos, sendo que, deste tempo, nove minutos foram com o ônibus parado para o motorista cobrar as passagens. Além disso, por conta da lotação, o condutor do coletivo não consegue ver se as pessoas já desceram nos pontos e precisa ser avisado pelos passageiros.

O que dizem as empresas

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp) não respondeu os questionamentos sobre a falta de cobrador e, em relação à superlotação, informou que os ônibus trabalham dentro da capacidade prevista no horário de pico.

Já a EMTU informou que vai intensificar mais ainda a fiscalização e, caso sejam constadas as irregularidades, vai multar as empresas, como prevê a lei. Nos últimos seis meses, a linha 709 foi multada 25 vezes, segundo a empresa.

Com informações da EPTV