Vitória: Passageiro é atingido por bala perdida

Vitória: Passageiro é atingido por bala perdida

12 de abril de 2019 Off Por Redação Revista do Ônibus

Um passageiro foi vítima de bala perdida no bairro Maruípe, em Vitória, no final da manhã desta sexta-feira (1). O estudante foi atingido na perna, quando estava dentro do ônibus, durante uma troca de tiros entre um criminoso e policiais na rodovia Serafim Derenzi. A vítima foi socorrida e passa bem.

O tiroteio aconteceu por volta de 12h. Segundo o motorista, o ônibus passava pela rodovia quando um passageiro que estava no banco de trás reclamou que tinha sido acertado. O coletivo estava cheio no momento.

“Teve um tiroteio atrás do ônibus, só ouvi os tiros e um rapaz reclamando que tinha sentido o disparo. Todo mundo entrou em desespero. O tiro pegou na perna, ele foi socorrido”, disse o motorista. A marca do disparo ficou na lanterna do ônibus, na parte de trás.

Operação

De acordo com a Polícia Civil, policiais da Superintendência de Polícia Interestadual e de Capturas (SUPIC), foram até o bairro Joana D’arc, em Vitória, realizar uma operação de cumprimento de mandado de prisão preventiva, expedida pela 4ª Vara Criminal de Vitória, pelo crime de roubo contra um acusado.

Duas equipes, em cinco policiais, foram até o local em veículos descaracterizados. Quando chegaram ao endereço, o suspeito viu os investigadores, que deram voz de prisão.

O suspeito soltou a bicicleta, colocou a mão na cintura e correu. Ainda segundo a polícia, um dos policiais efetuou um tiro, como advertência, para o chão, e o suspeito continuou em fuga.

Outros dois policiais efetuaram dois disparos. Um novamente para o chão e outro para o alto. Eles foram atrás do suspeito, mas ele conseguiu escapar e, até o momento, não foi localizado.

O ônibus foi conduzido ao 1º Batalhão da Polícia Militar. No veículo foi encontrado um projétil, que foi entregue à polícia. A Corregedoria da Polícia Civil foi acionada e foi até o local acompanhar a ocorrência.

As armas dos policiais foram recolhidas para análise. A infração, para ser investigada criminalmente, depende da representação da vítima. Porém, ele preferiu, no momento, não representar contra os policiais. O caso seguirá sob investigação da Corregedoria da Polícia Civil.

Com informações da Tv Gazeta