ônibus Blog da Redação Cidades Fiscalização Paraná Sul Terminais Viajando de Ônibus

ANTT realiza fiscalização de ônibus em Cascavel durante uma semana

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Companhia de Engenharia de Transportes e Trânsito (Cettrans) de Cascavel, no oeste do Paraná, notificaram 19 ônibus de empresas diferentes por irregularidades em uma operação na cidade. A ação se iniciou na segunda-feira (8) e foi finalizada na sexta-feira (12).

De acordo com a ANTT, dois ônibus foram impedidos de seguir viagem porque estavam com pneus carecas e problemas nos extintores de incêndio. A empresa responsável pelos veículos foi multada. Os passageiros só seguiram viagem após a substituição dos ônibus.

As equipes da ANTT e da Cettrans ainda vistoriaram itens de segurança obrigatórios dos ônibus, como saídas de emergência, extintor de incêndio, pneus, e faróis. Os agentes ainda verificaram a jornada de trabalho dos motoristas.

Ao todo, 65 ônibus foram fiscalizados durante a operação. Os agentes também conversaram com mais de 1,3 mil passageiros sobre a importância do cinto de segurança.

Sem cinto

Conforme o balanço da operação, 60% dos passageiros não estavam utilizando o cinto de segurança após a apresentação do motorista dos ônibus.

Segundo a ANTT, o uso do cinto é obrigatório nos veículos e as empresas são obrigadas a comunicar a norma aos passageiros antes do início da viagem.

O agente de fiscalização da ANTT Alan Ianke diz que os passageiros costumam justificar o não uso do cinto, dizendo que há incômodo ou até mesmo que esquecem.

“A pessoa que não utiliza o cinto de segurança não coloca em risco só a vida dela, mas das outras pessoas que também estão no ônibus. Em caso de colisão ela pode ser arremessada contra outra pessoa e as duas se machucarem”, explica.

Viagem segura

A coordenadora de educação de trânsito da Cettrans, Luciane de Moura, diz que as estatísticas mostram que o cinto de segurança é eficiente para salvar vidas.

Segundo Luciane, 75% das pessoas que utilizam o cinto em acidentes de trânsito não morrem. 40% das pessoas não ficam com nenhum tipo de sequela, conforme a coordenadora.

A funcionária pública Sandra Covatti viu de perto a importância do cinto de segurança durante um acidente. Em novembro de 2018, ela estava em um ônibus que se envolveu em uma colisão com um caminhão tanque.

O acidente aconteceu na BR-277, em Cascavel. O motorista morreu na hora. Sandra estava na primeira poltrona do ônibus. A funcionária quebrou a lombar no acidente e acredita estar viva por conta do cinto de segurança.

Sandra conta que durante uma parada para o lanche o cinto emperrou. Ela conseguiu arrumar e seguiu a viagem. “Se não fosse o cinto eu teria sido arremessada. Salvou a minha vida.”

Com informações da RPC TV