BR-316 ganha protesto contra buracos no Piauí

BR-316 ganha protesto contra buracos no Piauí

1 de abril de 2019 Off Por revistadoonibus

Os moradores “plantam” árvores e colocaram até melancias na estrada para chamar atenção das autoridades. 

De acordo com o engenheiro eletricista Renato Araújo, que mora no residencial Porto Alegre e precisa passar diariamente pela rodovia, o trânsito tem parado constantemente por causa dos buracos e um percurso que fazia em 15 ou 20 minutos chega a 40. Ele também reclama que isso aumentou seus gastos com o veículo. 

“Está sem condição de trafegar, quem conhece o trecho já sabe que tem que ir pelo acostamento ou desviar por um trecho de estrada carroçal. A gente que tem que passar todo dia é pior. Eu tive que adiantar a revisão do meu carro e comprar dois amortecedores novos. Causando transtorno e prejuízo”, afirma o engenheiro eletricista. 

Ele disse que com chuvas, a situação piora porque não tem como ver os buracos. E a noite sem iluminação a situação é mais difícil ainda. 

Os moradores que fazem o protesto têm três pautas urgentes: querem uma operação tapa-buraco para recapeamento imediato da via; que o governo entre um cronograma de início e fim da duplicação que se arrasta por anos e; a anulação das multas aplicadas pela PRF para quem está andando pelo acostamento, já que segundo eles, é a única alternativa para fugirem dos buracos e estão sendo multados.

O que dizem os órgãos

O trecho entre o km 8,4 até km 12,6 é de responsabilidade do Departamento de Estradas e Rodagem do Piauí (DER), que está com a concessão para realizar a duplicação da via. No entanto, a obra iniciada ainda em 2012 está paralisada e pelo menos cinco construtoras já teriam passado pelo local. 

O diretor do órgão, Castro Neto, disse  que vai se reunir esta semana para dar encaminhamento ao reinício das obras de duplicação na rodovia. E enquanto isso não acontece está planejando uma operação tapa buraco. No entanto, ainda não sabe quando deve começar. 

“É para começar esta semana, estamos fazendo a ordem de serviço para solicitar pessoal”, disse Castro Neto. 

A responsabilidade da rodovia federal é do Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT). De acordo com o diretor José Ribamar Bastos, o órgão tem cobrado “insistentemente” providências ao DER quanto à manutenção do trecho que foi concedido para a obra de duplicação. 

“Sempre estamos cobrando insistentemente que a obra seja retomada. Os ministérios públicos federal e estadual também têm feito cobranças e termos de ajuste de conduta foram assinados, mas não estamos vendo cumprimento”, afirmou o Ribamar Bastos.   

Com informações do Cidade Verde

O DNIT realiza uma obra de recuperação asfáltica do km 1 ao km 7. A previsão é que fique pronto até a segunda quinzena de abril.